terça-feira, 27 de novembro de 2012

6/12 TRIXMIX - ULTIMA EDIÇÃO DO ANO



TRIXMIX

Última Edição do Ano

preço único: R$ 25.00

6 de Dezembro de 2012

no Estúdio Emme



Direção: Mark Bromilow

Diretor Artístico do Varekai, Cirque du Soleil (2008 – 2010)



O Trixmix é um projeto que reúne

consagrados artistas

da cena circense, burlesca e cômica

para apresentações autorais.



O Trixmix já reuniu

consagrados artistas  nacionais e internacionais

para apresentações autorais

 onde a surpresa, o humor, a beleza e o inusitado

fazem de cada noite uma celebração única.





ELENCO

Direção: Mark Bromilow

Diretor Artístico do Varekai, Cirque du Soleil (2008 – 2010)



ELENCO



Hugo Possolo – Mestre de Cerimônias

Jesús Fornies (Espanha) – Malabares

MixChix – Express

Hillas Smith (Irlanda) – Hilario Spillacci

Stefany di Bourbon – Whitney Houston

Solas de Vento - Cama

Ricardo Rodrigues – Gordinho

Bruno Rudolf – Casaco

Bel Mucci e Natalia Presser – O Pássaro

AbandaOnada – Thiago Gomes, Edu Mantovani e Henrique Alves

DJ Kefing – Festa após o show







TRIXMIX

Edição de 6 de Dezembro

Abertura da casa:  20h30 com DJ e drinks

Início do show: 21h30

Duração do espetáculo: 70 minutos

Local: Estúdio Emme
Av. Pedroso de Morais, 1036

Recomendação: 18 anos

Ingresso R$ 25.00 – preço único

Vendas antecipadas: na bilheteria do local

Horário de funcionamento:

segunda a sábado, das 13h às 19h.

Entrada e assentos para deficientes

Serviço de bar e restaurante
Estacionamento:
Valet - R$ 20,00.

Informações: 3774-0415

Réveillon no Bar Brahma



O Bar Brahma Centro, ponto turístico da cidade de São Paulo, considerado o bar mais famoso da capital, celebra o réveillon 2013 com uma festa tradicional e sofisticada, com o tema “A sorte no coração da cidade”.
Para quem não vai viajar e quer comemorar o ano novo em São Paulo, o Bar Brahma Centro vai abrir nessa noite especial com uma temática diferente e oferece pacotes completos com ceia, open bar de bebidas, queima de fogos, atrações musicais exclusivas e outros diferenciais.
 
Já no Bar Brahma Aeroclube, a primeira filial do Bar Brahma do Centro, localizado no Campo de Marte – zona norte da cidade de São Paulo, a festa também acontece com outra temática – “Uma noite em Paris”. E oferece o mesmo pacote com ceia, open bar de bebidas, queima de fogos, atrações musicais exclusivas etc.  O andar superior da casa tem um deck de 200m² com uma vista privilegiada da cidade, voltada para a pista de pousos e decolagens do aeroporto. E dali todos poderão apreciar a queima de fogos a meia noite. 

30/11 NADA PROVOCA MAIS TESÃO DO QUE SABER DE SI ...NOITE DE AUTÓGRAFOS EXCLUSIVA







O que é autêntico em você?

Nada provoca mais tesão do que saber de si

Noite de Autógrafos Exclusiva



Claudia Riecken* ministra Aula Magna gratuita,

seguida de noite de autógrafos, de  seu novo livro

"A Estrutura do Tesão, Melissa",

dia 30 de novembro, às 19h,

na Livraria Cultura do Shopping Market Place.

 



A Universidade Quantum realiza  a 13ª Aula Magna

"A Estrutura do Tesão, Melissa",

com Claudia Riecken,  seguida de noite de autógrafos em

lançamento do livro da autora, com o mesmo título.




Claudia Riecken revela o código humano da motivação existencial,

"a estrutura do tesão", passando pelas relações profissionais,

amorosas e de amizade.



Na data, os participantes entrarão em contato

com as regras para participar do sorteio

do IPad da autora,

que contém os conteúdos base para a obra.



Aula Magna com Claudia Riecken,

seguida de noite de autógrafos

30 de novembro de 2012
Horário: 19h

Duração: 1 hora

Entrada Franca

Vagas 100

É necessário fazer reserva pelo link:

http://www.quantumassessment.com.br/grupo-quantum/universidade-quantum/eventos/aula-magna

Local: Livraria Cultura do Shopping Market Place

Av. Dr. Chucri Zaidan, 902



Sobre o Livro

Surpreendente, científico, romanceado e claro, “A Estrutura do Tesão, Melissa” se apresenta como um livro marcante, revelador, engraçado e indispensável para o Tesão de ser autêntico e gozar a vida plenamente.



O livro traz o surpreendente olhar da autora para o  código humano que leva à motivação erótica e existencial e  envolve os leitores com a fala profunda e arrebatadora que desvela as forças sutis do Tesão na vida, elevando-nos ao Divino ou envolvendo-nos no mundano.



Guiada pelas cartas da bela jornalista – e misteriosa jovem – Melissa Raywoods, a autora interpreta, em canto e prosa, as questões principais sobre o amor e o sexo, a consciência e a espécie humana.



A Neurologia comportamental, a Física Quântica e a Magia apóiam a interpretação das cartas, as quais vêm de épocas remotas e lugares distintos, revelando segredos particulares de personalidades como Leila Diniz, Mata Hari, a jovem Rainha Vitória, Osho e Babete, levando o leitor a uma reflexão palpitante sobre sua própria natureza, no encontro de seu entusiasmo existencial pleno.



Em Tempos de Aquário e Física Quântica, o livro faz um anúncio do que muda na era da consciência... E o que é perene (estrutural) no nosso Tesão. Ao longo dos milênios, há uma estrutura... a mesma. Em mil tons de Azul.


A AUTORA


 Nascida em 08 de novembro de 1966, Claudia Riecken é cientista, psicoterapeuta, escritora, analista e ativista quântica.



É fundadora e Chairperson da Quantum Assessment, criadora do Método Quantum, com mais de 1 milhão de pesquisas pelo mundo, medindo o perfil emocional em grupos-controle, empresas, governos, universidades, ONGs, famílias e gente como você. Entre seus clientes estão empresas do porte da Bombril, O Boticário, Pepsico do Brasil e Votorantim.



Autoconhecimento delicado, revelador, libertador e de novas fronteiras marcam seu trabalho de forma viva, intensa e consistente.



É  DHE (Design Human Engineering), formada com o lendário Richard Bandler, PhD e em Neurologia Comportamental no México. Foi sócia e empresaria pela Quantum Leap Inc. Califórnia do antológico John Grinder Phd. É uma entre os 12 especialistas certificados no mundo como Resiliator Specialist pelo Resiliency Center, Portland Oregon (Al Siebert, PHD).



Autora das obras Autonomia para Vencer (1999), Editora Gente, vencedor do Prêmio Ser Humano da ABRH do mesmo ano, autora convidada de Esclerose Múltipla: o caminho do conhecimento entre pedras e Flores (2011), publicado pela ABEM e SobreViver, Instinto de Vencedor (2006), best seller pela Editora Saraiva.




A Estrutura do Tesão, Melissa

De Claudia Riecken

310 páginas

O livro está a venda na Cia dos Livros e pelo site da editora  www.aestruturadotesao.com.br

E em breve nas livrarias  Fnac, Cultura e Saraiva.

sábado, 24 de novembro de 2012

Cervejas, Brejas & Birras – Um guia para desmistificar a bebida mais popular do mundo


Cervejas, Brejas & Birras – Um guia para desmistificar a bebida mais popular do mundo

de Mauricio Beltramelli

Formato: 17 x 23 cm
Nº de páginas: 320

Mauricio Beltramelli, criador do site Brejas e proprietário do Bar Brejas, lança em novembro seu primeiro livro pela editora LeYa "Cervejas, Brejas & Birras" - Um guia para desmistificar a bebida mais popular do mundo”. Um livro que ajudará tanto iniciados quanto leigos a descobrir tudo sobre os mais de 100 tipos de cerveja existentes no mundo, por meio de uma linguagem simples e divertida, como numa conversa de amigos entre um chope e outro.



Uma viagem saborosa entre as garrafas desse líquido precioso, inventado meio sem querer por mulheres da Idade da Pedra. Ao mesmo tempo em que apresenta as tradições e o que existe de melhor sendo feito pelas grandes cervejarias mundiais, o autor destaca a qualidade das promissoras microcervejarias artesanais brasileiras e desfaz mitos que há muito povoam as conversas de bar. 


 







Editora LeYa lança “Eu, Dommenique”, a história de uma Dominatrix brasileira





Eu, Dommenique apresenta relatos verídicos de diferentes tipos de sessões de dominação e revela as ideias e inquietações de uma mulher que é, acima de tudo, senhora de si.
Nada do que você vai ler é imaginação. Tudo é real. Verdadeiro. Tão real e verdadeiro como Dommenique Luxor, a mulher que viveu tudo isso e agora conta para você como é, como se faz, o que acontece, o que se sente.
Se você tem curiosidade em saber o que é dominação, então não vai perder esse livro. E se você é uma dominadora ou um dominador, ou se tem curiosidade sobre o tema, vai se rever nessas páginas.

“Fiz tudo como mandava o figurino. Contrato de servidão. Se era pra ser, seria. Nem eu sabia direito o que fazer, e por isso mesmo segui no jogo. Qualquer coisa qu Editora LeYa lança “Eu, Dommenique”, a história de uma Dominatrix brasileira
Os homens que procuram Dommenique envolvem-se com ela em um sofisticado jogo de dominação e submissão. É um jogo com limites previamente combinados, mas não há jogadas ensaiadas. Dentro desses limites, tudo pode acontecer. A regra é muito clara e específica: A Domme decide e executa, o escravo serve e obedece – física, mental e emocionalmente. É um jogo erótico e sexual, e os envolvidos sentem prazer de forma peculiar.

e eu praticasse seria aceita, e ele assinou”. Isso foi a primeira vez. Depois… bom, depois você não vai ser capaz de ler como essa gaúcha virou a rainha das dominadoras."

“O poder é todo meu. Sou dona da minha casa.
Do meu corpo. Do meu prazer. E dona dos meus objetos. Dona. Senhora. Madame. Mistress.
Rainha. Deusa. Dominatrix. Domme. Dommenique.”

Título: Eu, Dommenique
Autora: Dommenique Luxor
Nº de páginas: 192

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Um pouco de Donatien Alphonse François de Sade pela Iluminuras






Donatien Alphonse François de Sade, o Marquês de Sade, (Paris, 2 de junho de 1740 — Saint-Maurice, 2 de dezembro de 1814) foi um aristocrata francês e escritor libertino. Muitas das suas obras foram escritas enquanto estava na Prisão da Bastilha, encarcerado diversas vezes, inclusive por Napoleão Bonaparte. De seu nome surge o termo médico sadismo, que define a perversão sexual de ter prazer na dor física ou moral do parceiro ou parceiros. Foi perseguido tanto pela monarquia (Antigo Regime) como pelos revolucionários vitoriosos de 1789 e depois por Napoleão.

Num mundo destinado à corrupção, o autor de Filosofia da Alcova propõe uma pedagogia, um processo educacional capaz de conduzir o homem a um estado apático. Como todos os males nos atingem por meio dos sentidos, Sade pensa num laboratório onde se possa dia-a-dia exercitar esse estado de apatia. Submete-se o homem a toda sorte de dores e perturbações libidinosas em orgias e agressões físicas que, em seus escritos, chegam ao assassinato.

Além de escritor e dramaturgo, foi também filósofo de ideias originais, baseadas no materialismo do século das luzes e dos enciclopedistas. Lido enquanto teoria filosófica, "o romance de Sade oferece um sistema de pensamento que desafia a concepção de mundo proposta pelos dois principais campos filosóficos no contexto da França pré-republicana: o religioso e o racionalista".[4] Sade era adepto do ateísmo e era caracterizado por fazer apologia ao crime (já que enfrentar a religião na época era um crime) e a afrontas à religião dominante, sendo, por isso, um dos principais autores libertinos - na concepção moderna do termo.


O primeiro escândalo na vida do marquês ocorreu cinco meses após o casamento. Em outubro de 1763, foi acusado pela prostituta Jeanne Testard de obrigá-la a renegar Deus e a realizar “atos de sacrilégio” com imagens cristãs enquanto mantinham relações sexuais. Acabou preso, mas, graças à influência da sogra, ficou na cadeia menos de um mês

Em suas obras, Sade, como livre pensador, usava-se do grotesco para tecer suas críticas morais à sociedade urbana. Evidenciava, ao contrário de várias obras acerca da moralidade - como por exemplo o "Princípios da Moral e Legislação" de Jeremy Bentham- uma moralidade baseada em princípios contrários ao que os "bons costumes" da época aceitavam; moralidade essa que mostrava homens que sentiam prazer na dor dos demais e outras cenas, por vezes bizarras, que não estavam distantes da realidade. Em seu romance 120 Dias de Sodoma, por exemplo, nobres devassos abusam de crianças raptadas encerrados num castelo de luxo, num clima de crescente violência, com coprofagia, mutilações e assassinatos - verdadeiro mergulho nos infernos.

Várias vezes preso, sempre conseguia evadir-se, até ser preso definitivamente em Vincennes (1777), de onde foi transferido para a prisão da Bastilha (1784). Esteve internado no hospício de Charenton (1789-1790, 1801-1814), onde finalmente encontrou a morte. Foi neste hospício e tendo os próprios loucos como atores que ele conseguiu montar suas muitas peças, entre elas Les 120 journées de Sodome (1785), Justine ou les malheurs de la vertu (1791), La Philosophie dans le boudoir (1795), seu romance mais famoso, Pauline et Belval (1796) e Juliette ou les Prospérités du vice (1798). Sua obra foi marcada pelo toque sentimental que retratando os costumes vigentes na França da sua época, deformadas pelas descrições patológicas das perversões sexuais, e até hoje gera, no mínimo, curiosidade.

Apesar de produzir uma obra extensa – da qual apenas um terço foi publicado –, Sade foi um escritor pouco lido em sua época. “Ele sabia que o que escrevia não seria vendido na esquina livremente. Sempre foi um autor clandestino”, afirma Eliane Moraes. Assim ele permaneceu durante todo o século 19. Em 1834, uma edição do Dicionário Universal inaugura o termo “sadismo”, com o significado de “aberração horrível do deboche; sistema monstruoso e anti-social que revolta a natureza”. O nome só se torna famoso, porém, quando usado pelo psiquiatra alemão Richard Freiherr von Krafft-Ebing, num catálogo de psicopatias sexuais, em 1886.

Sade morreu aos 74 anos, amado por duas mulheres, com quem planejava produzir peças teatrais pornográficas quando um dia saísse do hospício.

BIBLIOGRAFIA

    Justine
    Juliette de Sade
    Zoloe e suas Amantes
    O Estratagema do Amor
    Os Crimes do Amor
    A Filosofia na Alcova
    Contos Libertinos
    Diálogo entre um Padre e um Moribundo
    Os 120 Dias de Sodoma
    A Crueldade Fraternal
    Os Infortúnios da Virtude

OS LIVROS

Os Infortúnios da virtude
de MARQUÊS DE SADE


No de Paginas:
192

Em 1787, às vésperas da Revolução Francesa, Sade, sofrendo de uma infecção nos olhos, escreve em apenas duas semanas Os infortúnios da virtude, obra inaugural da grande saga das irmãs Justine e Juliette, a heroína virtuosa e a libertina perversa, uma trilhando as veredas do bem, a outra as do vício e da crueldade, enfim, as personagens-síntese da simetria perfeita do sistema sadiano. Uma não existe sem a outra, assim como um libertino não faz sentido neste universo radical e assustador sem a vítima que lhe serve de objeto de deboche e contraponto tipológico no exercício da perversidade.

Justine e Juliette representam os dois extremos complementares dessa narrativa dialógica na qual os poderes do vício triunfam e as fraquezas da virtude sucumbem inexoravelmente, como se a natureza, a grande-Mãe, inspirasse toda a narrativa, de forma retumbante, arrebatando das mãos os raios da Divina Providência para atirá-los contra os pobres infortunados. Eis a tônica: todo virtuoso é infeliz. Assim, a pobre heroína peregrina pela França, de cantão em cantão, sem renunciar a sua fé,sem descrer nos poderes absolutos e salvadores da religião, seus asseclas e santos.

Ela cai e se levanta, inabalável, a cada ultraje, a cada infâmia, encarnando a última das heroínas virtuosas. Justine, dir-se-ia, só existe para ser aviltada, molestada, profanada. Por isso tem “vida longa”, por isso resiste, resiste... eterna sobrevivente dos dispositivos de destruição da literatura sadiana.

No entanto, são esses “tropeços”, essas “ciladas”, cartas marcadas de uma estratégia romanesca originalíssima: há que se importunar e espezinhar a virtude, pois, caso ela triunfe sempre, o romance perde o interesse. A vida tem de ser mostrada como ela é: dura e cruel.

A tese que Sade sustenta é que a virtude exprime melhor seu sentido se for “atormentada pelo vício”.

No entanto, tal subterfúgio serve de tacape para uma empreitada maior: a paródia do gênero sentimental que faz detonar os poderes da corrupção e do vício, os únicos que, segundo seu autor, estão de acordo com as “verdadeiras intenções da natureza”.

Nessa medida (ou desmedida), Justine pode ser considerada a última das heroínas virtuosas do século XVIII, que, com efeito, decreta a morte do gênero sentimental, tão difundido nesta época por autores como Richardson, Prévost e Rousseau.

Sade escreve à contracorrente ou à contraluz desses autores, atirando no fundo do poço e sepultando de vez as esperanças do homem no homem.



A FILOSOFIA NA ALCOVA
de MARQUES DE SADE


REEDIÇÃO
No de Paginas:
256

A obra em forma de diálogos trata da educação sexual de uma jovem, apresentando, além do erotismo, posições ideológicas que discutem os ideais republicanos e as submissões de uma maneira geral. O romance se passa no quarto, num cenário de coxins, divãs, almofadas e lençóis, onde a jovem Eugénie aprende as artes da libertinagem através do experiente Dolmancé e da senhora de Saint-Ange.

NO PREFÁCIO À EDIÇÃO ORIGINAL de (La Philosophia. dans le boudoir) le-se -

Habent sua fata libelli. Os maus livros também têm seu destino. A obra que estamos em vias de entregar ao público chocará, sem dúvida, aos leitores menos avisados. A crueza das cenas de deboche e a violência dos ataques a todos os princípios da moral consagrada abalam mesmo ao espírito mais habituado a leitura fortes. A depravada orgia da imaginação do famigerado Marquês é tamanha que ninguém o superou até agora e sua obra é, ainda hoje, o melhor documento dos desvarios a que pode atingir a mente humana Nada ele respeita. A religião, a moral, os costumes, os mais puros sentimentos de família a amizade, os nobres impulsos do coração humano são vilipendiados por este espírito doentio e degenerado.
Aqueles que tiveram oportunidade de se informar sobre a patologia do espírito humano, os que se interessam pelo estudo das anormalidades sexuais, não estranharão, evidentemente, este pesadelo monstruoso. Para estes, a presente obra valerá como um texto para estudo. Nenhum sexólogo, nenhum psiquiatra, poderá ignorar este documento. Aí está nossa justificação, ao publicá-lo.
Ainda mais. Para os leitores e mesmo para os inexperientes, esta leitura, estamos certos, jamais será perniciosa. O espírito são repelirá sua brutal pornografia e sua álgida libidinagem. Quem dispuser de um sólido patrimônio moral repudiará, automaticamente, as elucubrações extravagantes e infantis do autor e, certamente, robustecerá suas crenças e seus princípios ante a insanidade de seus cínicos argumentos. Aliás, para invocar ainda uma verdade consagrada: é preciso conhecer o mal para saber evitá-lo.

"A Filosofia na Alcova" (La Philosophie dans le boudoir) apareceu pela primeira vez em 1795 como "obra póstuma do autor de Justina", em dois volumes ilustrados. Constitui o mais expressivo dos escritos do Marquês nas práticas do vício. É uma antologia da libertinagem.
.....................................................................................................................................

No ensaio Faut-il Brûler Sade? (1951) [Devemos Queimar Sade?], Simone de Beauvoir identifica aspectos vanguardistas nos textos do marquês, antecedendo alguns conceitos freudianos da psicanálise. -

A libido está em todo lugar, e ela é sempre maior do que si própria.
Sade certamente antecipou uma grande verdade. Ele sabia que as
“perversões” que são vulgarmente consideradas como
monstruosidades morais ou defeitos psicológicos na verdade
concernem o que agora seria considerado intencionalidade. Ele
entendeu, também, que nossos gostos são motivados não pelas
qualidades intrínsecas, mas da relação do último com o objeto. Em
uma passagem da La Nouvelle Justine ele tenta explicar coprofilia. Sua
resposta é inadequada, mas de modo desengonçado, usando a noção
de imaginação, ele aponta que a verdade de uma coisa não se encontra
no que ela é, mas no significado que adquiriu no percurso da nossa
experiência individual. Intuições como essa nos permitem saudar
Sade como o precursor da psicanálise. (Beauvoir, 1972, p.74).


Um pouco mais de SADE

Titulo:
120 DIAS DE SODOMA,OS 
Autor:
MARQUES DE SADE 
Categoria:
Literatura Estrangeira 

Sinopse:
Cento e vinte dias, seiscentas paixões. Quatro meses de libertinagem, quatro classes de vícios. A cada dia, cinco modalidades, somando cento e cinquenta por mês. Para dar conta dessas cifras, uma comitiva formada por quarenta e seis pessoas, distribuídas em oito categorias distintas, das quais sete ...





Titulo:
DIALOGO ENTRE UM PADRE..... 
Autor:
MARQUES DE SADE

Categoria:
Literatura Estrangeira 

Sinopse:
O livro concentra os principais textos do Marquês de Sade em que ele refuta violentamente Deus e as religiões monoteístas....






Titulo:
LIÇÕES DE SADE 
Autor:
ELIANE ROBERT MORAES
Categoria:
Crítica e Teoria Literária 

Sinopse:
Dotados de rara clareza, os ensaios de Eliane Robert Moraes configuram um olhar que privilegia a força imaginativa de Sade....




LANÇAMENTO